MARVEL STUDIOS: Como o Disney Plus será fundamental para o MCU

12 de abril de 2019 Diego Domingos
Marvel Studios no Disney Plus

Marvel Studios no Disney Plus

Cinemaaaaaaaaster, o Disney Plus – serviço de streaming da Walt Disney – está oficialmente lançado. Primeiramente vai chegar nos Estados Unidos, claro, e somente no primeiro trimestre de 2021 é que a expansão vai chegar na América Latina. Seremos o último mercado global a receber o streaming da Walt Disney. E durante a apresentação do streaming Cinemaster – dividida pelas áreas Disney, Pixar, Marvel, Lucasfilm e National GeographicKevin Feige, na condição de presidente da Marvel Studios subiu ao palco.

Kevin Feige por três vezes Cinemaster mencionou algo que ficou claro ao longo de toda a apresentação da Walt Disney, tanto do ponto de vista macro – ou seja, a plataforma como um todo – quanto do ponto de vista micro, com o conteúdo produzido pelas subsidiárias. Feige disse que a qualidade dos filmes Marvel Studios, que faturam bilhões e que já chegaram ao status de se venderem sozinho, seja com muita ou pouca divulgação, será mantida. Da mesma forma que os filmes chegam aos cinemas com a máxima qualidade, isso acontecerá com as séries a serem desenvolvidas. Nas palavras de Feige, “todas as séries vão vir com o selo Marvel Studios.” Resumo da ópera, têm qualidade.

Só que Cinemaster, é inevitável tentar deixar de lado o fato de que agora não será apenas o universo dos filmes que vai cruzar em si dentro da perspectiva de produções cinematográficas interligadas. Agora vão vir séries em live-action, todas elas interligadas e conectadas com os longas produzidos dentro da Marvel Studios.

Dessa forma, como que isso vai funcionar?! E mais ainda, como que a chegada de séries vai influenciar diretamente os filmes, que como falei, vendem por si só? E, claro, qual a importância dessas séries no todo do MCU.

Séries Marvel Studios confirmadas no Disney Plus

Entre todas as séries que estavam ao redor de rumores desde o final do ano passado, apenas a do Gavião Arqueiro não foi confirmada. Mas as demais sim.

São elas:

  • WandaVision – Os sensacionais Elizabeth Olsen e Paul Bettany Cinemaster vão retornar como a Feiticeira Escarlate e o Visão para a série do streaming;
  • The Falcon and The Winter Soldier Anthony Mackie e Sebastian Stan também retornam para uma série limitada no Disney Plus.
  • LokiTom Hiddleston também volta ao MCU em uma série do meu vilão preferido da Marvel Studios (hahahahah). Na apresentação, Feige disse que Loki se tornou um dos personagens mais originais e mais valiosos da Marvel Studios. Não é pra menos, Hiddleston é incrível como o mega vilão.
  • What If… (O que Aconteceria Se…) – Série em animação que, assim como os quadrinhos, vai mostrar como que as histórias do MCU seriam diferentes se determinados eventos não tivessem acontecido. E o primeiro episódio será “O que aconteceria se… Peggy Carter se tornasse o Capitão América?” As vozes dos personagens serão as mesmas dos elencos dos filmes.

Bastidores do MCU no Disney Plus

Outro mega projeto anunciado por Kevin Feige Cinemaster é uma conexão ainda mais direta, ou seja, funciona como uma ponte ainda mais clara entre os filmes da Marvel Studios e as séries do MCU para o Disney Plus. À medida que cada filme novo da Marvel Studios estrear nos cinemas, um conteúdo (não ficou definido se será um curta-metragem ou se será uma série) com os bastidores da produção. Bastidores esses Cinemaster que trarão os diversos aspectos da produção. Mais do que sensacional.

Personagens na mitologia da Marvel Studios

Além de mencionar que a qualidade dos filmes da Marvel Studios será mantida para os projetos que estão sendo desenvolvidos, Kevin Feige frisou que todos os personagens desenvolvidos para as séries estarão intimamente conectados à mitologia do MCU. O que é ótimo Cinemaster porque passará a haver o cruzamento de histórias e personagens. E mais ainda, isso vai proporcionar que personagens possam ser apresentados e desenvolvidos na série, para que quando forem aos filmes, eles já chegarão com um nível narrativo ainda mais elevado.

Novas histórias para a Marvel Studios

Claro Cinemaster que tudo parte de um objetivo final que é faturar mais. Afinal, a Disney não criou um streaming para desovar seus filmes e séries, e para criar novos conteúdos com o objetivo de pagar de descolada, de legal. Não, ela quer se tornar líder do mercado de streaming. Ela quer bater a Netflix dentro e fora dos Estados Unidos. Para isso, é necessário investimento. Mas investimento em quê?! Em filmes e séries. E para se fazer investimento é necessário o quê?! Exatamente, dinheiro! E quando se tem dinheiro para o investimento ser feito, o que acontece?! É aí onde entra a criatividade dos produtos a serem desenvolvidos, que serão assistidos, comentados, e que por conseguinte vão atrair mais pessoas para o serviço de streaming, gerando mais receita e fomentando o investimento para que mais filmes e séries sejam produzidas.

Sacou, Cinemaster?! É um grande ciclo. Mas a ponta disso realmente começa com as história! Bob Iger disse em uma entrevista neste ano que todo dia ele analisa centenas de histórias que estão para se tornar filmes, séries, atrações em parques de diversões. Afinal, tudo na Walt Disney parte da história, que em seguida se conecta com o público e o faz consumir os produtos desenvolvidos pela empresa.

Com isso, a adição das séries da Marvel Studios para o Disney Plus Cinemaster permitirá que mais histórias sejam contadas. Mas além disso, o streaming vai permitir que histórias que não tinham como chegar aos cinemas sejam contadas. Por exemplo, Elizabeth Olsen e Paul Bettany são incríveis como a Feiticeira Escarlate e o Visão. Mas os dois funcionariam em um gigantesco filme solo?! Não!

O escopo dos personagens, o universo dos personagens, eles precisariam de algo que fosse menor que um filme, mas que mantivesse a qualidade da Marvel Studios. E é exatamente aí onde entra o Disney Plus. Personagens secundários, como o Máquina de Combate – que inclusive iria ter um filme solo seu em meados de 2014 – como o Gavião Arqueiro também, terão a chance de terem mais histórias contadas só que dentro de uma outra perspectiva. Perspectiva essa que manterá tudo interligado e conectado ao MCU.

Novos diretores para a Marvel Studios

Um dos elementos que mais me deixa fascinado pela Marvel Studios é o fato de Kevin Feige focar em diretores que estão no mercado independente, seja alguns mais experientes, seja alguns mais novatos. Afinal, o mercado independente de cinema é geralmente onde circulam mentes altamente criativas. E criatividade é o que a Marvel Studios precisa hoje e sempre.

Dessa forma Cinemaster, as séries da Marvel Studios para o Disney Plus poderão funcionar verdadeiramente como escolas de cinema para a empresa. Imagina o quanto a Marvel Studios vai estimular criativamente diretores a produzirem episódios para séries, e mais ainda, imagina o quão criativo eles vão se tornar até mesmo ao ponto de chegarem a dirigir filmes para o MCU. É um ciclo Cinemaster onde não apenas a Marvel Studios tem a ganhar, mas toda uma indústria também.

Filmes ainda maiores para o MCU

Partindo da ideia que as séries da Marvel Studios poderão funcionar como escolas para diretores altamente criativos, é quase que um trabalho por tabela… os filmes do MCU se tornarão ainda maiores e mais bem trabalhados. Não pense em “ainda maiores” Cinemaster como filmes orçados em US$ 200 milhões. Mas digo filmes com histórias ainda mais complexas, inteligentes e tramas altamente bem trabalhadas. Tudo bem que uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa, mas todos estarão trabalhando Cinemaster sob o mesmo selo, e quanto maior a aposta em proporcionar o desenvolvimento de novos projetos, ainda maior terá que ser a criatividade atrelada a isso.

Mais Universo Marvel de Cinema (Marvel Cinematic Universe)

É aqui Cinemaster onde a expressão “respirar Marvel Studios” vai fazer mais sentido do que nunca! Entre as fases da Marvel Studios houve realmente intervalos de tempo que foram um tanto longos. Por exemplo, de Homem-Formiga e a Vespa para Capitã Marvel foram oito meses. Imagina quantas séries e quantos conteúdos originais não poderiam ter sido lançados em um serviço de streaming com o objetivo de fomentar essa expectativa?! Exatamente! Tudo bem que a DC já faz isso, com séries e filmes sendo lançados a todo momento.

Mas volto para o que Kevin Feige falou, tudo estará debaixo do mesmo teto. Um personagem coadjuvante em uma série do streaming no Disney Plus será tão importante quanto um personagem coadjuvante de um filme do MCU. Ou seja, tudo será muito, muito bem trabalhado. E não é à toa que Kevin Feige pode mencionar isso. Os bilhões de dólares em faturamento mundial, os elogios e os impactos culturais que os longas da Marvel Studios têm produzido ao longo desses anos são argumentos mais do que incontestáveis de que a entrada do MCU na produção de séries para o Disney Plus será um completo e grandioso sucesso.

DISNEY PLUS: Preço, quando chegará ao Brasil, filmes, séries, interface e todos os detalhes