MARVEL STUDIOS: Fase 1 – A influência de cada filme no MCU

13 de abril de 2019 Diego Domingos
Importância da Fase 1 na Marvel Studios

Importância da Fase 1 na Marvel Studios

Sim, sim, Cinemaaaaaster. Com o final da Fase 3 do Universo Marvel de Cinema, da Marvel Studios, é mais do que plausível relembrar tudo o que foi produzido pelo MCU a ponto de culminar em Vingadores – Ultimato. No entanto, contudo, todavia, ao invés Cinemaster de fazer um resumão que pudesse ser mais do mesmo, pensei da seguinte forma: discutir a influência que cada filme teve dentro da Marvel Studios é um tanto mais interessante porque, positivamente ou negativamente, todas as produções serviram de aprendizado para tudo o que foi produzido por Kevin Feige.

Dessa forma Cinemaster, partiu discutir o que cada filme da Fase 1 da Marvel Studios influenciou tanto a sua franquia, quanto o MCU como um todo.

Importância da Fase 1 na Marvel Studios

Importância da Fase 1 na Marvel Studios

Homem de Ferro

Era mais do que fundamental Cinemaster que Homem de Ferro funcionasse. Isso é fato, claro. Afinal, o que Kevin Feige estava propondo ali não era uma franquia, não era uma série cinematográfica sobre apenas um personagem. O que Kevin Feige estava propondo com o primeiro Homem de Ferro era um modelo de negócio, Cinemaster. Modelo esse que poderia ou não funcionar. E tanto quanto Kevin Feige, Jon Favreau teve uma influência mais do que fundamental não só para que Homem de Ferro fosse um sucesso, mas também para que a mitologia do personagem fosse algo original não com o pensamento de uma adaptação de HQ, mas sim com um filme de ação com algumas linhas políticas sobre o poder bélico dos Estados Unidos.

E no conjunto da obra Cinemaster Kevin Feige e Jon Favreau mostraram que era possível adaptar um quadrinhos sem que se ele se tornasse um copiar, ou seja, fazendo assim com que o personagem tivesse vida própria. E essa vida própria Cinemaster foi mais do que fundamental por dois motivos: o primeiro para que todo mundo tivesse a consciência de que o que a Marvel Studios estava se propondo a fazer era uma adaptação, ou seja, criando realmente algo novo. E segundo, que esse modelo tinha tudo para funcionar porque a conexão proposta era muito bem feita. Homem de Ferro foi a ponta de esperança para que o mercado entendesse que o que e estava nascendo ali era interessante, mas que ainda assim não era um negócio totalmente seguro.

Importância da Fase 1 na Marvel Studios

Importância da Fase 1 na Marvel Studios

O Incrível Hulk

Com O Incrível Hulk Cinemaster a Marvel Studios enfrentou o fracasso. Exatamente, o fracasso! Mas essa queda, vou dizer assim, foi extremamente positiva pelo seguinte: Kevin Feige ali entendeu que ou eles fariam ótimos filmes, ótimos filmes mesmo, ou aquele modelo de negócio iria cair. Dessa forma, a influência de O Incrível Hulk veio na forma da Marvel Studios entender que a qualidade dos filmes era o primeiro ponto que precisava ser pensado. Só que Cinemaster, o mercado aceitou isso, o mercado americano aceitou a queda da Marvel Studios com O Incrível Hulk. Afinal, todo modelo de negócio e todo negócio é arriscado, tudo é uma aposta arriscada. Mas serviu de um aprendizado gigantesco, afinal, foi muito melhor cair no começo, do que cair quando a Marvel Studios estivesse em seu 13º filme.

P.S. Ah sim, Cinemaster. O Incrível Hulk também mostrou a Marvel Studios que nem todos os personagens tinham psicologia suficiente para ganhar um filme solo, como o verdão.

Importância da Fase 1 na Marvel Studios

Importância da Fase 1 na Marvel Studios

Homem de Ferro 2

Homem de Ferro 2 foi o filme que colocou a Marvel Studios na berlinda. Principalmente Cinemaster porque O Incrível Hulk já tinha sido um fracasso, e a esperança de deixar o verdão para trás era a continuação de um filme que tinha ficado sensacional! Mas não funcionou, Homem de Ferro 2 realmente não funcionou. E isso mostrou a Kevin Feige – e serviu como influência para a Marvel Studios – de que era necessário levar as sequências para novas direções, e mais ainda, era necessário fazer com que as continuações fossem maior e com histórias ainda mais bem trabalhadas. Gosto de dizer Cinemaster que foi com Homem de Ferro 2 que Kevin Feige teve o “click” sobre os vilões. Ou seja, que os antagonistas da Marvel Studios precisavam conquistar o público por seu carisma. Eles não tinham que ser maus porque queriam apenas dominar o mundo, eles tinham que criar conexões emocionais com o público.

Importância da Fase 1 na Marvel Studios

Importância da Fase 1 na Marvel Studios

Thor

Cinemaster, imagine agora um gráfico, certo?! Homem de Ferro está no número 8, depois esse gráfico da Marvel Studios desceu para 2 com O Incrível Hulk, e em seguida subiu para 4 com Homem de Ferro 2 e com Thor esse gráfico foi para o número 6. Thor mostrou a Marvel Studios Cinemaster que eles tinham que investir em personagens do segundo escalão da Marvel Comics. Afinal, muito é cobrado a quem muito foi dado. E o que isso significa?! Significa Cinemaster que continuar investindo em personagens que poucas pessoas eram fascinadas por seus quadrinhos daria a Marvel Studios mais subsídios para que eles pudessem surpreender o público mundial. Se você faz um filme do Hulk, é esperado que você faça o filme mais original do mundo, afinal, é o Hulk, um dos personagens mais icônicos da Marvel Studios.

Mas quando você faz um filme do Thor, as pessoas estão mais abertas a mergulhar em um mundo onde elas não conhecem. Afinal, quem conhecia profundamente os personagens do universo do herói antes do filme?! Pouquíssimas pessoas. Então, uma história de origem de um personagem que por si só é diferente, aliado a um elenco talentoso e com algumas estrelas, e com um vilão espetacular, Thor mostrou a Marvel Studios que esse era o caminho a ser seguido. É fato que o filme não foi um completo sucesso de bilheteria, mas todo mundo na época estava falando sobre o longa do personagem. Ou seja, a repercussão, o boca a boca já tinha valiado a pena.

Importância da Fase 1 na Marvel Studios

Importância da Fase 1 na Marvel Studios

Capitão América – O Primeiro Vingador

Assim como Thor Cinemaster, quem era fanático pelas histórias do Capitão América, e mais ainda, quem era fascinado pelas histórias dos quadrinhos do personagem?! Pois é! E para Capitão América – O Primeiro Vingador a Marvel Studios aprimorou o conceito de herói que eles trouxeram em Thor. Isso porque enquanto no filme do Deus do Trovão você tinha Asgard, em Capitão América ele tinha a Segunda Guerra Mundial. Então, qual o diferencial nisso?! Que a Marvel Studios Cinemaster iria contar a história da Segunda Guerra Mundial, mas na perspectiva, na visão de um personagem adaptado de HQ.

Pelo menos pra mim, Thor foi muito melhor que o primeiro filme do Capitão América, mas é inevitável não mencionar que a produção montou a base do que viria a ser conhecido como a “fórmula Marvel”. No entanto, isso não pode ser visto Cinemaster como algo negativo. Principalmente porque na época era necessário a Marvel Studios criar filmes com a mesma identidade, sobretudo, para mostrar ao mercado que aquele modelo era capaz de funcionar, como realmente funcionou.

Importância da Fase 1 na Marvel Studios

Importância da Fase 1 na Marvel Studios

Os Vingadores

A Marvel Studios fechou Capitão América – O Primeiro Vingador Cinemaster com um sentimento de que eles estavam produzindo filmes numa média 5, 6. Ou seja, era necessário levar esse gráfico lá para as alturas. Os Vingadores Cinemaster foi a aposta decisiva da Marvel Studios para que o mercado cinematográfico prestasse atenção de uma vez por todas no MCU. E que filme, Cinemaster. Os Vingadores foi genial para a época e isso precisa ser reconhecido até hoje.

Principalmente porque o filme não estava reunindo apenas seis personagens, eram seis conjuntos complexos de história, eram seis universos centrados em três personagens principais (Homem de Ferro, Thor e Capitão América) e em três personagens secundários que foram e são de total importância para o MCU (Viúva Negra, Hulk e Gavião Arqueiro). E trazer Loki de volta Cinemaster foi a comprovação do que Kevin Feige já tinha em mente, ou seja, para finalizar tudo isso com o culminar de uma grande história, ele precisava plantar o grande vilão já no começo de tudo. Foi exatamente daí Cinemaster que veio o propósito de incluir Thanos já na cena pós-créditos de Os Vingadores.

E o sucesso de público, crítica e bilheteria de Os Vingadores ficaram de uma vez por todas o modelo de negócio da Marvel Studios. Mas o que isso significa ao certo? Que a partir daqui Cinemaster a Marvel Studios poderia lançar qualquer filme que ele iria fazer sucesso. Só que isso em si é um desafio superficial. Fazer filmes bons por filmes bons todo mundo pode conseguir, mas tornar esses filmes verdadeiros impactos na cultura pop aí sim era algo desafiador, era algo que a Marvel Studios tinha formado como base com toda a Fase 1 e ela estava realmente mais do que preparada para dar esse segundo passo.

O que realmente fez a Fase 1 funcionar?

O que fez a Fase 1 (Homem de Ferro, O Incrível Hulk, Homem de Ferro 2, Thor, Capitão América e Os Vingadores) da Marvel Studios funcionar Cinemaster foi toda a capacidade e criatividade de Kevin Feige de mostrar que esse era um modelo de negócio valioso. Que não seria algo prático e fácil, mas que à medida que a criatividade e que a qualidade dos filmes aumentasse, mais retorno em bilheteria eles teriam. Ou seja, as apostas da Marvel Studios precisavam ficar ainda maiores. E parte dessa aposta realmente ganhou subsídio na compra da Marvel Entertaiment pela Walt Disney.