ROMA: Filme é o melhor do ano para Pedro Almodóvar

4 de dezembro de 2018 Diego Domingos
Roma - Alfonso Cuarón

Roma – Alfonso Cuarón

Yeeeeeeeeeeeeeah, Cinemaster. A divulgação do filme favorito de Pedro Almodóvar é tão tradicional quanto as listas anuais de melhores filmes do ano que Tarantino liberada até meados de 2015.

Mas Almodóvar continua firme e forte elegendo ano a ano o seu filme favorito.

E em conversa com a Variety Cinemaster, Pedro revelou que Roma é o seu filme favorito de 2018: “É o melhor filme do ano. Duas horas de um mestre que leva os espectadores para longe. Quando vi o filme pela primeira vez, eu disse a ele, ‘Este não apenas o seu melhor filme, é um dos meus cinco principais filmes de todos os tempos. Mas não fique com a cabeça grande: é o número cinco.” =D

Shoooow de bola.


E a sinopse oficial de Roma Cinemaster diz o seguinte:

O projeto mais pessoal até hoje do diretor e roteirista vencedor do Oscar Alfonso Cuarón (Gravidade, Filhos da Esperança e E Sua Mãe Também), Roma narra um ano turbulento na vida de uma família de classe média na Cidade do México, na década de 70. Cuarón inspirado pelas mulheres da sua infância, entrega uma ode artística ao matriarcado que moldou seu mundo.

Roma é um retrato da luta doméstica e da hierarquia social em meio as turbulências políticas, a produção segue uma jovem trabalhadora doméstica chamada Cleo (Yalitza Aparicio) e sua colega de trabalho chamada Adela (Nancy García), que trabalha para uma família no bairro de classe média mexicano chamado Roma. Mãe de quatro filhos, Sofia (Marina de Tavira), lida com a grande ausência do seu marido, Cleo enfrenta uma notícia devastadora que poderá afastá-la dos filhos de Sofia, que ela ama e os trata como se fossem seu. Ao tentar construir um novo sentido de amor e solidariedade em um contexto de hierarquia social em que classe e raça estão perversamente entrelaçados, Cleo e Sofia lutam silenciosamente com as mudanças que se infiltram na casa da família em um país que enfrenta uma milícia apoiada pelo governo.

Filmado em um luminoso preto e branco, Roma é um retrato íntimo, angustiante e finalmente afirmativo da vida, dos modos pequenos e grandes, de uma família que tenta manter seu equilíbrio em um tempo de conflito pessoal, social e político.