X-MEN: Filmes ranqueados, dos esquecíveis aos memoráveis

8 de junho de 2019 Diego Domingos
X-Men (Filmes Ranqueados)

X-Men (Filmes Ranqueados)

Wooooooooooow, Cinemaster. Os filmes da franquia X-Men são esquecíveis em sua grande maioria. Mas é como falei, em sua grande maioria, porque ainda existem os que se salvam, como X-Men: Primeira Classe e X-Men: Dias de um Futuro Esquecido. Sobre a trilogia original, poderiam ter sido bem melhores. Mas nem tudo também esteve perdido ao longo desses quase 20 anos de X-Men na 20th Century Fox, Cinemaster. Deadpool e Logan são dois projetos geniais. A Fox a bem da verdade “queimou a língua” com Deadpool, que se tornou a franquia mais rentável entre todos os filmes X-Men. E Logan é uma verdadeira obra de arte. Um dos melhores filmes americanos nesses últimos anos.

Com isso, partiu ranquear Cinemaster todos os filmes da franquia X-Men, tanto os principais, quanto os derivados, spin-offs. Ou seja, todos eles… dos esquecíveis aos memoráveis.

X-Men Origens: Wolverine

X-Men Origens: Wolverine

X-Men Origens: Wolverine (2009)

Direção: Gavin Hood

Roteiro: David Benioff e Skip Woods (David mesmo, de Game of Thrones, Cinemaster)

Orçamento: US$ 150 milhões

Bilheteria: US$ 373.1 milhões

A primeira tentativa da Fox de fazer filmes spin-offs a partir da franquia X-Men não poderia ter sido mais esquecível. Gambit e Wade Wilson vieram totalmente distorcidos dos quadrinhos. Fora que a história veio irrisória, sequer fraca. A prova é tanta Cinemaster que o próprio Ryan Reynolds brincou e ainda brinca com seu Wade Wilson dentro e fora do cinema.

X-Men 3

X-Men 3

X-Men: O Confronto Final (2006)

Direção: Brett Ratner

Roteiro: Simon Kinberg e Zak Penn

Orçamento: US$ 210 milhões

Bilheteria: US$ 459.4 milhões

X-Men: O Confronto Final poderia ter mantido a história focada na conclusão das jornadas dos personagens. Mas ao adicionar o subplot da Fênix Negra, que não serviu de absolutamente nada no filme, a produção se tornou uma grande confusão.

X-Men: Apocalipse

X-Men: Apocalipse

X-Men: Apocalipse (2016)

Direção: Bryan Singer

Roteiro: Simon Kinberg

Orçamento: US$ 178 milhões

Bilheteria: US$ 543.9 milhões

Em X-Men: Apocalipse Simon Kinberg trouxe um roteiro fraco, um vilão fraco, isso sem falar nos diversos problemas de refilmagens que a produção enfrentou. Desde X-Men 2 Bryan Singer já não era mais uma boa opção para dirigir os filmes X-Men, mas a Fox persistiu no erro e o trouxe em Dias de um Futuro Esquecido e em Apocalipse. De tão esquecível que o filme é, apesar das boas adições de Scott, Jean Grey e dos novos mutantes, eu te desafio até a se lembrar quem foi o ator que viveu aquilo que se parecia com o Apocalipse dos quadrinhos. Sim, era Oscar Isaac.

X-Men: Fênix Negra

X-Men: Fênix Negra

X-Men: Fênix Negra (2019)

Direção: Simon Kinberg

Roteiro: Simon Kinberg

Orçamento: US$ 200 milhões

Bilheteria: Atualizar!

X-Men: Fênix Negra Cinemaster tinha tudo para funcionar. Era nesse filme onde Simon Kinberg tinha que mostrar que os filmes da franquia principal de X-Men ainda tinham esperança, e mais ainda, era a chance de Simon de mostrar que ele realmente era diferente de todos os roteiristas que passaram pelos X-Men, mas de nada adiantou. O filme se perdeu entre tentar finalizar a história de Jean Grey ao mesmo tempo que tentou concluir a trama da jornada dos X-Men. Fênix Negra é um bom filme, mas ainda assim é fraco e acaba por se tornar esquecível mediante o elenco espetacular, mas que foi desperdiçado em uma produção pouco bem escrita. Detalhe que, conforme revelado por Sophie Turner, ela e Simon Kinberg reescreveram várias partes do roteiro todos os dias cerca de duas horas antes do elenco chegar para as filmagens no set da produção, no Canadá.

X-MEN: FÊNIX NEGRA [REVIEW]: A trilha de Hans Zimmer merecia um filme melhor

X-Men (Wolverine - Imortal)

X-Men (Wolverine – Imortal)

Wolverine – Imortal (2013)

Direção: James Mangold

Roteiro: Mark Bomback e Scott Frank

Orçamento: US$ 132 milhões

Bilheteria: US$ 414.8 milhões

E lá fomos eu e você mais uma vez Cinemaster para a segunda tentativa da Fox de transformar os personagens de X-Men em filmes solo, e novamente não deu certo. James Mangold era realmente talentoso, mas a história não tinha força e nem mesmo Hugh Jackman conseguiu salvar a produção. Afinal, não importa o elenco que um filme tenha, ele pode ser o quanto “A” de Hollywood vir a ser, mas se a história não for boa, de nada adianta.

X-Men:

X-Men:

X-Men (2000)

Direção: Bryan Singer

Roteiro: David Hayter

Orçamento: US$ 75 milhões

Bilheteria: US$ 296.3 milhões

Para a época Cinemaster o primeiro X-Men realmente foi revolucionário, afinal, um grande estúdio finalmente havia decidido adaptar para as telonas as icônicas páginas das HQs desenvolvidas por Stan Lee. Com uma história simples e tradicional o confronto entre Professor Xavier e Magneto foi realmente eletrizante, e com um elenco sensacional, X-Men realmente fez história. Hoje em dia, particularmente, a produção já não se configura mais como uma das melhores adaptações de HQs, mas ainda assim foi um começo satisfatório.

X-Men 2

X-Men 2

X-Men 2 (2003)

Direção: Bryan Singer

Roteiro: Michael Dougherty, Dan Harris e David Hayter

Orçamento: US$ 125 milhões

Bilheteria: US$ 407.7 milhões

Tão bom quanto o primeiro X-Men, o segundo filme da franquia aprofundou ainda mais as psicologias dos personagens, e o principal elevou as apostas. Bryan Singer continuou com sua direção pouco interessante, mas a história do filme em si acabou se sobressaindo pelo trabalho pouco visual de Singer.

X-Men: Dias de um Futuro Esquecido

X-Men: Dias de um Futuro Esquecido

X-Men: Dias de um Futuro Esquecido (2014)

Direção: Bryan Singer

Roteiro: Simon Kinberg

Orçamento: US$ 200 milhões

Bilheteria: US$ 747.9 milhões

Parecia que finalmente Cinemaster X-Men tinha entrado na linha das ótimas produções. Confesso que fiquei impressionado com o quão inteligente X-Men: Dias de um Futuro Esquecido ficou. A forma como as histórias com o elenco atual e o elenco antigo foram unidas em uma história instigante, eletrizante e altamente bem escrita foi espetacular. Em termos de complexidade de história, Dias de um Futuro Esquecido é o melhor entre os filmes da franquia principal.

X-Men: Primeira Classe

X-Men: Primeira Classe

X-Men: Primeira Classe (2011)

Direção: Matthew Vaughn

Roteiro: Ashley Edward Miller, Zack Stentz, Jane Goldman e Matthew Vaughn

Orçamento: US$ 160 milhões

Bilheteria: US$ 353.6 milhões

Que filme, Cinemaster… que filme! Matthew Vaughn realmente se tornou o primeiro diretor dos filmes X-Men a trabalhar história e direção em um altíssimo nível. A escolha do elenco foi genial: James McAvoy, Michael Fassbender, Jennifer Lawrence e Nicholas Hoult, sensacionais! As histórias de origem dos mutantes foram muito eletrizantes. X-Men: Primeira Classe realmente significa um marco entre as adaptações dos mutantes para a telona. Muito memorável.

X-Men (Deadpool 2)

X-Men (Deadpool 2)

Deadpool 2 (2018)

Direção: David Leitch

Roteiro: Rhett Reese, Paul Wernick e Ryan Reynolds

Orçamento: US$ 110 milhões

Bilheteria: US$ 785 milhões

Confesso que fiquei receoso Cinemaster quando Tim Miller deixou o filme! Mas a bem da verdade, David Leitch – que trabalhou boa parte de sua vida como dublê – tornou as cenas de ação ainda mais expressivas. Em termos de qualidade, o primeiro Deadpool e o segundo estão no mesmo nível. Mas o trunfo de Deadpool 2 foram as adições de Josh Brolin como Cable e de Zazie Beetz como Dominó. Os dois foram peças centrais para que Deadpool pudesse desenvolver o seu lado mais humano. História brilhante.

X-Men (Deadpool)

X-Men (Deadpool)

Deadpool (2016)

Direção: Tim Miller

Roteiro: Rhett Reese e Paul Wernick

Orçamento: US$ 58 milhões

Bilheteria: US$ 783.1 milhões

Cinemaster, você tem ideia de que se não fosse aquele vídeo com as cenas testes, Deadpool talvez nunca fosse chegar ao cinema?! Afinal, nunca eu e você teríamos conferido como que era a quebra da quarta parede que Ryan Reynolds estava propondo, como seria a interação do personagem com as cenas de ação. Mas graças àquela vazamento, Deadpool foi produzido! Detalhe, sabe de quando é o primeiro rascunho do roteiro de Reese e Paul?! 2010, Cinemaster. Foram seis anos para a produção viesse a ser desenvolvida e lançada. E no resumo da ópera, Deadpool é um dos filmes mais revolucionários na história das adaptações de HQs: o humor, a atuação de Ryan, a direção de Miller e a história como um todo, espetacular.

X-Men (Logan)

X-Men (Logan)

Logan (2017)

Direção: James Mangold

Roteiro: Scott Frank, James Mangold e Michael Green

Orçamento: US$ 97 milhões

Bilheteria: US$ 619 milhões

Em termos de tecnicidade cinematográfica Cinemaster Logan é um dos filmes mais icônicos na história do cinema americano. Ao assistir a produção, em nenhum momento eu realmente tive a sensação de estar assistindo a um filme adaptado de HQ. Nem mesmo na cena em que a HQ do Wolverine, criada especialmente para o filme, aparece! O roteiro de Logan, indicado ao Oscar em Roteiro Adaptado, é brilhante. Os diálogos, a dramaticidade, o tom – que funciona na história como um personagem -, as atuações espetaculares de Hugh Jackman, Patrick Stewart e da jovem Dafne Keen, e a direção de James Mangold construíram uma produção realmente única. Sem dúvida, o melhor filme X-Men produzido até então.