OSCAR 2019: O Grande Circo Místico tem chances de ser indicado?

11 de setembro de 2018 Diego Domingos
O Grande Circo Místico - Oscar 2019 - Melhor Filme em Língua-Estrangeira

O Grande Circo Místico – Oscar 2019 – Melhor Filme em Língua-Estrangeira

Woooooooooow, Cinemaster. O Festival de Veneza praticamente fincou o Oscar de Melhor Filme em Língua-Estrangeira para Roma, de Alfonso Cuarón.

O longa, todo em preto e branco, filmado em espanhol e com atores completamente desconhecidos, é tido como um dos dois melhores filmes do ano, ao lado de O Primeiro Homem, de Damien Chazelle.

A partir disso Cinemaster este PostMovie Especial para discutir exatamente se O Grande Circo Místico tem ou não chances de ao menos ser indicado ao Oscar 2019. Afinal, o grande vencedor eu e você já sabemos bem, Cinemaster.

Então, vamos à discussão.

O Grande Circo Místico - Oscar 2019 - Melhor Filme em Língua-Estrangeira

O Grande Circo Místico – Oscar 2019 – Melhor Filme em Língua-Estrangeira

Oscar 2019: O Grande Circo Místico tem chances!

Com a confirmação do Ministério da Cultura de que O Grande Circo Místico Cinemaster comecei a discutir comigo mesmo sobre as reais chances que o filme tem no Oscar 2019.

E de fato… tem!

Antes de mais nada Cinemaster, para que um filme seja indicado ao Oscar de Melhor Filme em Língua-Estrangeira, é mais do que certo que essa produção tenha um currículo, ou seja, que esse filme tenha passado o ano todo em festivais de renome.

Tudo bem, O Grande Circo Místico foi para o Festival de Cannes, não em disputa pela Palma de Ouro, mas de qualquer forma, esteve no mais importante festival de cinema do mundo.

E o outro argumento Cinemaster que é completamente válido para a produção está justamente na lenda Cacá Diegues.

Cacá Diegues inquestionavelmente é um dos maiores diretores de cinema brasileiro.

E Cinemaster, Cacá já foi indicado a Palma de Ouro nada menos que três vezes, em 1980 por Bye Bye Brasil, em 1984 por Quilombo e em 1987 por Um Trem para as Estrelas.

Ou seja, Cacá por si só é mais do que capaz de levar O Grande Circo Místico para a categoria de Melhor Filme em Língua-Estrangeira no Oscar 2019.

O Grande Circo Místico - Oscar 2019 - Melhor Filme em Língua-Estrangeira

O Grande Circo Místico – Oscar 2019 – Melhor Filme em Língua-Estrangeira

Oscar 2019: O Grande Circo Místico não tem chances!

No entanto Cinemaster, tem o outro lado da moeda.

Justamente pelo fato de ter ido a parte menos favorecida do Festival de Cannes e por não ter montado um currículo ao longo do ano, O Grande Circo Místico não tenha chances.

Agora Cinemaster em um ano realmente fraco de filmes em língua-estrangeira, uma indicação para O Grande Circo Místico pode acontecer.

Mas ainda assim, são cinco vagas e com certeza os filmes vitoriosos dos Festivais de Berlim e Cannes estarão indicados. =D

Resumo da ópera, particularmente não acredito que o Brasil chegue ao Oscar 2019 Cinemaster. Não tenho como julgar O Grande Circo Místico em suas minucias, mas a questão é que há filmes que já montaram um currículo e uma memória na cabeça dos votantes da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood, o que torna a disputa ainda mais difícil para o Brasil.

Oscar 2019: Com quais filmes brasileiros O Grande Circo Místico concorreu?

Foram ao todo Cinemaster 22 filmes que concorreram à vaga. E quem escolheu O Grande Circo Místico Cinemaster foi Comissão Especial de Seleção, formada por membros da Academia Brasileira de Cinema: Lucy Barreto (produtora), Bárbara Paz (atriz), Flávio Tambellini (produtor), Jeferson De (diretor), Hsu Chien Hsin (diretor), Katia Adler (produtora) e Claudia da Natividade (produtora).

“O Grande Circo Místico”, de Cacá Diegues
“O Caso do Homem Errado”, de Camila de Moraes
“O desmonte do Monte”, de Sinai Sganzerla
“Antes que eu me esqueça”, de Tiago Arakilian
“Aos teus olhos”, de Carolina Jabor
“Ex-pajé”, de Luiz Bolognesi
“Alguma coisa assim”, de Mariana Bastos e Esmir Filho
“Paraíso perdido”, de Monique Gardenberg
“Além do homem”, de Willy Biondani
“Como é cruel viver assim”, de Julia Rezende
“O animal cordial”, de Gabriela Amaral Almeida
“Unicórnio”, de Eduardo Nunes
“Ferrugem”, de Aly Muritiba
“Encantados”, de Tizuka Yamazaki
“Dedo na ferida”, de Silvio Tendler
“Yonlu”, de Hique Montanari
“Não devore meu coração”, de Felipe Bragança
“Talvez uma história de amor”, de Rodrigo Spada Bernardo
“Canastra Suja”, de Caio Sóh
“Entre irmãs”, de Breno Silveira
“As boas maneiras”, de Julia Rojas e Marco Dutra
“Benzinho”, de Gustavo Pizzi

Até dezembro Cinemaster a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood vai divulgando as listas com os filmes que continuam na disputa por uma das cinco indicações!!!